«Lola» – Brillante Mendoza é Brilhante!

Brillante Mendoza, realizador filipino, é sem dúvida brilhante e uma grande surpresa. Confesso que não conhecia Mendoza nem a sua obra, mas quando o filme “Lola” estreou em Portugal (23 de Setembro) e recebeu boas criticas, fiquei curioso em conhecer este realizador. Infelizmente não estreou no Porto, mas a FNAC lançou um pack de dois filmes do Mendoza, que eu comprei (“Kinatay”, vencedor do prémio de Melhor Realizador na 62ª edição do Festival de Cannes, e “Lola”). Quando acabei de ver o filme fiquei estupefacto com a qualidade cinematográfica do filme. Um filme com grande subtileza em todos os aspectos.

A história de duas avós que lidam com as consequências de um crime que envolve os seus respectivos netos. O neto de Lola Sepa foi morto por um ladrão de telemóveis. A sua avó pobre e sem dinheiro para fazer um enterro digno, está disposta a fazer um empréstimo bancário. Por outro lado, a outra avó, Lola Puring está decidida a tirar o seu neto Mateo da prisão, mesmo sabendo que ele matou o neto de Lola Sepa. Ambas frágeis e sem dinheiro farão tudo para ajudar os seus netos – uma tenta arranjar dinheiro para o enterro de um e outra para a fiança do outro.

Filmado nas Filipinas com um baixo orçamento, Mendoza leva-nos apercorrer as ruas dos subúrbios de Manila, sujas, pobres, sempre populosas e com muita chuva. É um retrato actual da sociedade filipina. Um filme politico e humano. Mendoza juntou neste filme duas histórias verídicas separadas. Duas vidas que se cruzam e que apesar de lutarem por objectivos diferentes tem muito em comum. A câmara de Mendoza começa por dar mais atenção à avó Lola Sepa, sendo que na segunda parte do filme a câmara foca-se mais na avó Lola Puring. E o filme decorre desta maneira, mostrando bocados do quotidiano das duas avós, as longas viagens que ambas tem de percorrer para ajudarem os seus netos, os sacrifícios que fazem e os truques que usam para conseguir arranjar algum dinheiro. Ou seja, lutam pela sobrevivência, num mundo complexo e injusto.

É inquestionável a influência do neo-realismo italiano neste filme. Lembra-nos imediatamente “Ladrões de Bicicletas”de Vittorio de Sica. “Lola” é um misto de documentário com ficção, filmado em cenários naturais. A câmara de Mendoza, sempre filmada à mão, é delicada e eficaz, seguindo sempre os protagonistas com uma imagem estável e bonita. O elenco é composto por não actores e por duas grandes vedetas do cinema filipino, Anita Lindo (Lola Sepa) e Rustica Carpio (Lola Puring).

Brillante Mendoza, com oito longas-metragens realizadas em cinco anos, sendo que as três últimas foram seleccionadas para os mais conceituados festivais do mundo, é sem dúvida um realizador a quem devemos estar muito atentos no futuro. “Lola” é um triunfo para a sétima arte!

Realização: Brillante Mendoza

Argumento: Brillante Mendoza

Elenco: Anita Lindo

França/2009 – Drama

Sinopse: Duas avós lidam com as consequências de um crime que envolve os seus respectivos netos – um é vítima, o outro suspeito. Frágeis e sem posses, terão de conseguir dinheiro para o enterro de um e para a fiança do outro. Tudo por amor aos netos.

Classificação dos Leitores0 Votes
5