Segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) sobre o mercado cinematográfico em Portugal no primeiro semestre de 2018 (de janeiro a junho), registou-se uma perda de cerca de 1,3 milhões de espectadores nas salas de cinema nacionais, em comparação com o mesmo período de 2017. Ou seja, registou-se uma quebra na receita bruta e no número de espectadores nas salas de cinema em Portugal de 13,9% (35,6 milhões de euros) e 17% (6,5 milhões), respetivamente. Não houve nenhum mês que, face ao período homólogo do ano anterior, tivesse registado uma subida.

“As Cinquenta Sombras Livre” foi o filme mais visto até 30 de junho com 430,394 espectadores. Em 2.º lugar ficou o filme “Vingadores: Guerra do Infinito” com 407,397 espectadores, seguindo-se em terceiro lugar “Deadpool 2” com 373,432 espectadores.

Neste período estrearam comercialmente 15 longas-metragens nacionais em Portugal. O filme português mais visto foi “Bad Investigate”, de Luís Ismael, com 45,422 espectadores. “Soldado Milhões” posiciona-se como o segundo mais visto com 24,482, seguido de “Ruth” com 6,596. “Colo”, de Teresa Villaverde, foi visto por 3,283 espectadores e “Ramiro”, de Manuel Mozos, apenas por 2,391.

No total, foram exibidos 599 filmes nos cinemas, dos quais 159 foram estreias, com filmes provenientes dos EUA a representaram 37,9% e os de origem europeia 45,6%.

Segundo estes dados, prevê-se que 2018 seja um ano de crise no setor cinematográfico português, tendo em conta que 2017 foi o melhor ano, com um aumento do número de espectadores (15,6 milhões). Desde 2014 que o número de espectadores tem vindo a aumentar, mas tudo indica que este ano haverá uma quebra.

Fonte: Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA)