Desde os primeiros avanços em relação a este projeto que a Warner Brothers prometia uma versão mais fiel e crua dos livros de Rudyard Kipling do que aquilo que a Disney nos deu até hoje. De facto, “Mogli” até consegue cumprir a promessa, infelizmente as suas limitações a nível narrativo dão origem a um filme não mais fraco, mas certamente menos memorável do que, por exemplo, a mais recente versão Disney realizada por Jon Favreau.

A história é certamente já conhecida por grande parte do público. Baseado em “O Livro da Selva”, o filme centra-se na viagem de Mowgli (Rohan Chand) desde bebé órfão perdido na selva, até rapaz selvagem perdido entre os seus instintos humanos e as suas raízes de lobo, que o ligam à sua mãe adotiva Nishaa (Naomi Harris), o urso Baloo (Andy Serkis), a pantera Bagheera (Christian Bale) e a píton Kaa (Cate Blanchett). A missão desta família da selva é tentar proteger Mowgli de Shere Khan (Benedict Cumberbatch), um tigre perigoso e astuto.

Andy Serkis seria, em teoria, o realizador ideal para liderar um blockbuster como este. Afinal, o homem interpretou personagens quase inteiramente digitais desde “Senhor dos Anéis” e a sua experiência dentro e fora de câmara são testamento do seu talento. Infelizmente, enquanto “Mowgli” traz ao ecrã uma grandeza visual interessante, o seu lado humano e animal fica muito aquém da expectativa e do mundo selvagem criado por Rudyard Kipling.

Rohan Chand é competente na interpretação de Mowgli. O jovem ator terá certamente um futuro promissor no cinema e interage de forma emotiva num universo populado quase por completo por efeitos especiais, tendo muito poucas cenas onde pode contracenar com outros humanos – que são tão superficiais que acabamos por duvidar da sua utilidade. Serkis, Cumberbatch e Bale dão profundidade às suas personagens, enquanto o restante elenco deixa um pouco a desejar.

Pouco mais há a dizer sobre “Mowgli – A Lenda da Selva”. Após um período em águas de bacalhau, o filme acabou por ir parar à Netflix, onde estreou no dia 7 de dezembro, e a verdade é que está no seu respetivo lugar.

Numa realidade onde mesmo os filmes de orçamento mais reduzido nos podem vislumbrar com os seus efeitos especiais e cinematografia, principalmente quando, como aqui, a história já foi feita e refeita mais de uma dezena de vezes, “Mowgli – A Lenda da Selva” deveria ter feito muito mais para justificar o seu lugar nas salas de cinema.

Realização: Andy Serkis
Argumento: Callie Kloves
Elenco:  Christian Bale, Cate Blanchett, Benedict Cumberbatch
Reino Unido/EUA/2018 – Aventura
Sinopse:

 

 

 

 

«Mogli - A Lenda da Selva» - Uma selva de efeitos especiais
2.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos