Depois de 2012 ter sido um ano fantástico para o cinema português, em termos de estreias e de bilheteira, eis que “Quarta Divisão” de Joaquim Leitão abre o ano de 2013, ao ser o primeiro filme português a estrear. Infelizmente a ‘abertura’ não correu lá muito bem. O filme mostrou ser o que já se previa pelas imagens do trailer, uma tentativa mal conseguida de um cinema comercial. O cinema português mais comercial tem vindo a melhorar bastante a parte técnica dos filmes, mas esquece-se completamente do argumento, da história. Não existe uma ideia de cinema por de trás dos filmes.

Com um razoável elenco, a história que nos é apresentada é sobre Martim, uma criança que desaparece do colégio sem deixar qualquer rasto. Contactada pela mãe, a Quarta Divisão da Polícia monta rapidamente uma grande operação em busca da criança desaparecida, que ao fim de 24h começa a excluir hipóteses e a pensar apenas numa possível.

Este é um policial que aborda temas atuais e pertinentes, que são já por si temas bastante sensíveis e complexos. É na verdade uma salada de temas que são explorados de uma forma muito superficial, como a pedofilia, a violência doméstica e a justiça em Portugal. Casos recentes na sociedade portuguesa, como o processo casa pia, o caso do Rui Pedro e da Madeleine McCann, são histórias que podem perfeitamente ter inspirado este filme e podem ser um exemplo para alertar a sociedade. O argumento é portanto ineficaz e básico, com diálogos desnecessários e personagens sem qualquer tipo de profundidade. A primeira parte do filme ainda poderá fazer algum sentido, mas a segunda é a ruína do filme. Tanto querem falar de uma coisa como de repente já falam de outra, nunca se focando em concreto num ponto. Tinha-se focado apenas numa temática e teriam talvez uma história mais coesa e profunda.

Apesar de ter algumas sequências bem filmadas e editadas, com bastante dinâmica, o filme apresenta uma estrutura semelhante à de um tele-filme e por vezes de telenovela. A nível técnico está bem conseguido, em particular o trabalho de som. É no entanto uma tentativa, que respeito, de industrializar o cinema português, mesmo que mal conseguida. Não há muito mais a dizer sobre “Quarta Divisão”.

Realização: Joaquim Leitão

Argumento: Tino Navarro

Elenco: Carla Chambel, Adriano Luz, Sabri Lucas, Paulo Pires, Cristina Câmara, Martim Barbeiro, Filipe Vargas, João Baptista

Portugal/2013 – Drama

Sinopse: Um dia, uma criança de 9 anos, Martim Cabral e Melo, desaparece do colégio privado onde estuda. A Quarta Divisão da Polícia monta uma grande operação de busca por toda a cidade para o encontrar. Todas as hipóteses são possíveis: O que aconteceu? Este é o ponto de partida para uma complexa teia de acontecimentos, que vai revelar a verdadeira faceta de quem menos se espera.

«Quarta Divisão» - Uma salada de temas
1.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos