André Novais Oliveira regressa ao IndieLisboa depois do comovente “Ela Volta na Quinta” (a concurso no Indie em 2015) e das curtas “Quintal” (2014) e “Pouco Mais de Um Mês” (2013), e consagra-se como um dos cineastas mais notáveis do atual cinema brasileiro. “Temporada”, sua segunda longa, retrata a revolução pessoal de uma mulher negra chamada Juliana, interpretada pela maravilhosa Grace Passô.

Juliana é de Itaúna, interior de Minas Gerais, e acaba de mudar-se para Contagem, cidade que integra a Grande Belo Horizonte, para trabalhar no combate a endemias. Ela e sua equipa visitam diariamente moradores da periferia para verificar se há focos de proliferação de mosquitos. Enquanto se adapta à nova rotina e espera pelo marido, que deveria acompanhá-la nessa mudança, Juliana de repente se vê sozinha, mas particularmente livre para conhecer novas pessoas.

Ninguém mais perfeita que Grace Passô (que também está em “No Coração do Mundo”) para viver essa personagem de comportamento fechado, retraído, que carrega um trauma do passado. Ela fala pouco, mas é muito observadora das sutilezas da rotina. A atriz mineira tem mais de 20 anos de carreira no teatro e contracena no filme com atores que têm diferentes níveis de experiência. Esse equilíbrio do elenco é ideal para a proposta do realizador de registar o quotidiano simples de uma mulher que precisa de assumir a direcção de sua vida.

“Temporada” é um desses raros filmes que nos convida a sentar por um momento e celebrarmos que estamos ali, naquela paisagem banal com aquelas pessoas comuns. Isso que é extraordinário.

«Temporada» - A vez da mulher negra brasileira
4.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos