«Tron: O Legado» – O Regresso à Grelha 28 Anos Depois

Dependendo da vossa idade podem ou não lembrar-se de “Tron”, o filme da Disney realizado por Steve Lisberger, mas o certo é que quando este filme saiu para os cinemas causou um impacto bastante agradável graças aos seus efeitos especiais e cenas de acção que embora hoje em dia estejam mais do que datadas, tinham bastante qualidade em 1982. “Tron” gerou um fenómeno de culto um pouco por todo o mundo e tornou-se num dos filmes cuja sequela era fortemente aguardada pelos fãs. E quase trinta anos, novamente com um aspecto visual fascinante e com uma banda sonora agradável eis que “Tron: Legacy” chega ás salas de cinema.

Vinte anos passam desde os eventos do primeiro “Tron” e Sam (Garret Hedlund) é agora um adulto. Após um encontro com Alan Bradley, director da ENCOM e amigo pessoal de Kevin Flynn (Jeff Bridges) Sam descobre que o seu pai pode ainda estar vivo e vai até ao velho salão de video-jogos onde este trabalhava. Lá ele encontra o escritório do pai e nesse escritório Sam é digitalizado até á Grelha onde inicia então a acção do filme. Já dentro da Grelha Sam é feito prisioneiro e obrigado a entrar nas lutas de gladiadores, onde acaba por conhecer CLU (Jeff Bridges) o programa criado á imagem do seu pai, e que o obriga a entrar numa luta de motas de luz,  onde é salvo por  Quorra (Olivia Wilde) um programa que faz nesta sequela o mesmo que a personagem Tron fez no primeiro filme, isto é, lutar pela salvação de Flynn e regresso deste e do seu filho a casa.

Este pode não ser um filme que agrade a muita gente mas é certamente um filme bastante competente dentro daquilo a que se compromete. Os efeitos especiais são bons e colocam esta sequela a anos-luz do filme original em termos visuais. O 3D também tem a sua contribuição positiva, sobretudo nas corridas de “Light Cycles” e nas batalhas de discos. O elenco, onde a atenção se concentra em Jeff Bridges, mostrou-se bastante bem dentro dos seus papeis sendo que poderiam estar melhores caso o argumento tivesse mais força a nível humano, mas enfim, não é um primor mas também não decepciona. E a banda sonora dos Daft Punk está muito boa, sendo mesmo um dos pontos fortes ao longo do filme.

“TRON: Legacy” é na minha opinião um filme capaz de nos deixar satisfeitos ao sair da sala de cinema e merecedor do dinheiro investido no bilhete e isso é mais do que se pode dizer de muitos dos BlockBusters que têm saido ultimamente, merecendo então uma atençãozinha por parte do espectador que gosta de um bom filme, capaz de distrair a mente durante quase duas horas.

Realização: Steve Lisberger

Argumento: Steve Kloves

Elenco: Garret Hedlund, Jeff Bridges, Olivia Wilde

EUA/2010 – Acção/Aventura

Sinopse: Tron O Legado é uma aventura high tech em 3D, passada num mundo digital como nunca antes vimos no grande ecrã. Sam Flynn, um rebelde de 27 anos, é assombrado pelo misterioso desaparecimento do seu pai, Kevin Flynn, um homem que ficou conhecido como líder mundial na criação de videojogos. Quando Sam investiga uma estranha mensagem enviada do antigo escritório de Flynn – uma mensagem que só poderia ter sido enviada pelo seu pai – ele é atirado para um mundo digital, o mesmo para onde Flynn foi arrastado há 20 anos. Com a ajuda da destemida guerreira Quorra, pai e filho vão embarcar numa derradeira jornada de vida ou morte através de um ciberuniverso visualmente assombroso e colossal – um universo criado pelo próprio Kevin, muito mais avançado, com veículos, armas e paisagens nunca antes imaginadas e um implacável vilão que vai fazer tudo para impedi-los de escapar.

Classificação dos Leitores0 Votes
3.5