Cannes 2014 - Vencedores

Realizou-se hoje a cerimónia da entrega dos prémios mais importantes do cinema, a 67ª edição do Festival de Cannes. A Palma de Ouro foi entregue, pelas mãos de Quentin Tarantino e Uma Thurman, ao turco Nuri Bilge Ceylan, pelo filme “Winter Sleep”. O realizador de “Os três Macacos” (2008) e “Era Uma Vez na Anatólia” (2011) venceu ainda o Prémio FIPRESCI da Competição. “Winter Sleep”, um filme de mais de três horas sobre um triângulo emocional, filmado nas planícies da Anatólia, foi desde a sua estreia um dos fortes candidatos a vencer a Palma de Ouro. O filme impressionou uma boa parte da crítica, sendo que o The Guardian comparou o realizador a Bergman e definiu o filme como “um profundo estudo do carácter humano, um filme incrível”Nuri Bilge Ceylan declarou: “É uma grande surpresa para mim, não estava à espera. Não sei o que dizer. Este ano é o 100º do cinema turco, é por isso uma feliz coincidência. Agradeço ao Festival de Cannes por ter apoiado este longo projecto. Obrigado ao Júri, a Thierry Frémaux e a Gilles Jacob. Quero dedicar esta Palme d’or à juventude turca e aos que perderam a vida durante o ano. Muito obrigado”.

O segundo prémio mais importante do festival, o Grande Prémio do Júri, foi entregue ao neo-realista italiano “Le Meraviglie” de Alice RohrwacherBennett Miller recebeu o prémio de Melhor Realizador, por “Foxcatcher”, o que acabou por ser uma surpresa. O Prémio de Melhor Argumento foi atribuído ao russo Andrey Zvyagintsev (aclamado cineasta russo de “O Regresso” (venceu o Leão de Ouro em Veneza) e de “Elena” (venceu o prémio especial do Júri Un Certain Regard) e Oleg Negin, por “Leviathan”Timothy Spall venceu o prémio de Melhor Ator, pelo papel em “Mr. Turner”de Mike LeighMuito comovido, o ator britânico leu o seu discurso pelo telemóvel e agradeceu a Mike Leigh, que conhece há 33 anos e com quem trabalhou sete vezes. O laureado evocou a leucemia de que sofreu e agradeceu a Deus por ainda estar vivo.

O Prémio do Júri foi atribuído a Xavier Dolan pelo seu filme “Mommy”, ex-aequo com Jean-Luc Godard por “Adieu au Langage”. O jovem realizador canadiano, muito emocionado, declarou: “Sinto-me perdido perante a gratidão do Júri, a quantidade de amor faz com que me aperceba que fazemos este trabalho para amarmos e sermos amados. É, de alguma forma, a vingança dos Amores Imaginários”. Xavier Dolan saudou também Jane Campion e o seu trabalho, fonte de inspiração para ele desde “O Piano”: “A Jane escreveu papéis para mulheres magníficas, com uma alma, que não são vítimas, que não são objectos”.

 

Palma de Ouro

Winter Sleep, de Nuri Bilge Ceylan

Grande Prémio do Júri

Le Meraviglie, de Alice Rohrwacher

Melhor Realizador

Bennett Miller, por Foxcatcher

Melhor Atriz

Julianne Moore, por Maps to the Stars

Melhor Ator

Timothy Spall, por Mr. Turner

Melhor Argumento

Leviathan, de Andrey Zvyagintsev

Prémio do Júri

Mommy, de Xavier Dolan

Adieu au Langage, de Jean-Luc Godard

Camera d’Or (Melhor Primeiro Filme)

Party Girl, de Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis

Palma de Ouro (Curta-Metragem)

Leidi, de Simón Mesa Soto

 

Un Certain Regard

Prémio Un Certain Regard

Fehér Isten, de Kornél Mundruczó

Prémio do Júri

Turist, de Ruben Östlund

Prémio Especial Un Certain Regard

The Salt of the Earth, de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado

Prémio de Conjunto

Party Girl, de Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis

Prémio do Melhor Ator

David Gulpilil, por Charlie’s Country

 

FIPRESCI

Competição Oficial

Winter Sleep, de Nuri Bilge Ceylan

Un Certain Regard

Jauja, de Lisandro Alonso

Secções paralelas

Les Combattants, de Thomas Cailley