Cannes 2015_Vencedores

Realizou-se hoje a cerimónia da entrega dos prémios mais importantes do cinema, a 68ª edição do Festival de Cannes. A Palma de Ouro foi entregue ao filme “Dheepan” do francês Jacques Audiard. Foi a grande surpresa da cerimónia. O realizador de “O Profeta” (2009) e de “Ferrugem e Osso” (2012) consegue à quarta nomeação para a Palma de Ouro vencer uma. Não era apontado como um forte candidato ao prémio principal, mas surpreendeu todos esta noite. Este é um filme sobre o exilo político e a esperança de se reconstruir num país que não é seu. Dheepan é um guerreiro tâmil, um Tigre, que luta para a independência tâmil no Sri Lanka. Decida fugir do seu país devastado pela violência e pela derrota indo com uma mulher e uma criança que não são dele, para Paris, na esperança de uma vida melhor. Aí, desloca-se de lar de acolhimento a lar de acolhimento… Dheepan torna-se então vigia de um imóvel, mas a precariedade da sua situação e a fragilidade do seu lar forçam-no a lutar, por esta nova vida.

O segundo prémio mais importante do certame, o Grande Prémio, foi para a primeira obra do húngaro László Nemes, “Son of Saul”, que venceu ainda o prémio da crítica, o Prémio FIPRESCI da Competição. O seu filme mergulha no inferno de um prisioneiro judeu em Auschwitz-Birkenau que reconhece o filho entre os cadáveres para incinerar. Segundo Thierry Frémaux, trata-se de um filme que “dará que falar”.

Hou Hsiao Hsien venceu o prémio de Melhor Realizador por “The Assassin”, que era apontado como o favorito à Palma de Ouro. O prémio de Melhor Atriz foi partilhado pela norte-americana Rooney Mara, com o filme “Carol”, e pela francesa Emmanuelle Bercot, com o filme “Mon Roi”. O de Melhor Ator foi entregue ao francês Vincent Lindon, em “The Measure of a Man”.

Quanto ao épico português de seis horas, “As Mil e Uma Noites” de Miguel Gomes, conseguiu ser o filme mais badalado desta edição de Cannes, como o filme com melhor classificação por parte de todos os críticos do certame. De todos os filmes que passaram por Cannes este ano, o filme de Miguel Gomes foi o que obteve melhor classificação. Tendo feito parte da secção paralela Quinzena dos Realizadores, não há prémios, pois não é uma secção competitiva. No entanto, conseguiu vencer um pequeno prémio, o Palm Dog, que premeia a melhor interpretação por parte de um cão nos filmes exibidos em Cannes. A coleira dourada foi entregue a Lucky, o Poodle Maltês espanhol que interpreta Dixie, no segundo volume de “As Mil e Uma Noites”.

 

Palmarés 2015

Palma de Ouro

Dheepan, de Jacques Audiard

Grande Prémio do Júri

Son of Saul, de László Nemes

Melhor Realizador

Hou Hsiao Hsien, por The Assassin

Melhor Atriz

Rooney Mara, em Carol

Emmanuelle Bercot, em Mon roi

Melhor Ator

Vincent Lindon, em The Measure of a Man

Melhor Argumento

Chronic, de Michel Franco

Prémio do Júri

The Lobsterm, de Yorgos Lanthimos

Camera d’Or (Melhor Primeiro Filme)

Land and Shade, de César Augusto Acevedo

Palma de Ouro (Curta-Metragem)

Waves 98, de Ely Dagher

 

Semana da Crítica

Grande Prémio Nespresso

La Patota, de Santiago Mitre

Prémio SACD

La Tierra y la Sombra, de César Augusto Acevedo

Prémio Visionário France 4

La Tierra y la Sombra, de César Augusto Acevedo

Prémio Descoberta – Curta-Metragem

Varicella, de Fulvio Risuleo

Prémio Canal+ – Curta-Metragem

Ramona, de Andrei Cretulescu

Garantia de Distribuição da Fundação Gan

Ni le Ciel, Ni la Terre, de Clément Cogitore

Palm Dog

Lucky, pela sua interpretação como “Dixie”, As Mil e Uma Noites

 

Un Certain Regard

Prémio Un Certain Regard

Hrútar (Rams), de Grímur Hákonarson

Prémio do Júri

Zvizdan (The High Sun), de Dalibor Matanić

Prémio de Realização

Kiyoshi Kurosawa, por Kishibe No Tabi (Journey to the Shore)

Prémio Talento

Comoara (Treasure), de Corneliu Porumboiu

Prémio do Futuro

Masaan, de Neeraj Ghaywan

Nahid, de Ida Panahandeh

FIPRESCI

Competição Oficial

Saul Fia, de László Nemes

Un Certain Regard

Masaan, de Neeraj Ghaywan

Secções Paralelas

La Patota, de Santiago Mitre

Cinéfondation

Primeiro Prémio

Share, de Pippa Bianco

Segundo Prémio

Locas Perdidas, de Ignacio Juricic Merillán

Terceiro Prémio

The Return of Erkin, de Maria Guskova

Victor XX, de Ian Garrido López

 

Quinzena dos Realizadores

Prémio Art Cinema

El Abrazo de la Serpiente, de Ciro Guerra

Prémio SACD

Trois Souvenirs de Ma Jeunesse, de Arnaud Desplechin

Prémio Europa Cinemas Label

Mustang, de Deniz Gamze Erguven