Wes Anderson é considerado há algum tempo um dos realizadores mais interessantes do cinema norte-americano contemporâneo. O seu cinema é extravagante, excêntrico, estilizado e diferente. “Moonrise Kingdom”, o filme que abriu a 65ª edição do Festival de Cannes, é tudo isto e muito mais! Como é em quase todos os filmes, Wes Anderson, explora temas sérios, tristes e dolorosos, recorrendo à comédia. Ele não é o único que o faz, mas é o único a fazer desta forma.

Depois da hilariante animação em stop motion, em “O Fantástico Sr.Raposo”, que se focava na família, Anderson fala-nos agora da infância. Provavelmente baseou-se em memórias da sua própria infância. “Moonrise Kingdom” passa-se no Verão de 1965, numa pequena ilha da costa da Nova Inglaterra. Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward), ambos de 12 anos, são duas crianças que se apaixonaram bastante e visto não se darem socialmente no meio em que viviam, decidiram deixar tudo para trás, fugindo para um lugar desconhecido. Esta fuga levou a uma agitada procura, por parte dos habitantes da ilha. No início os miúdos e os adultos procuravam em conjunto o casal desaparecido, mas a certa altura os miúdos ficam do lado do casal, ajudando-o a escapar. Tudo isto provoca uma grande confusão no seio dos adultos, composto pelo capitão Sharp (Edward Norton), o polícia (Bruce Willis), os pais de Suzy (Bill Murray e Frances McDormand) e a assistente social (Tilda Swinton).

Não é apenas a infância e o primeiro amor que são aqui explorados, mas também a importância da família e dos amigos. A infância é vista nas crianças e nas suas “brincadeiras”. Elas fazem parte dos escoteiros e levam-no muito a sério, aceitando a rigidez e a responsabilidade de ser um escoteiro, de sobreviver sozinho. O primeiro amor é visto em Sam e Suzy, que se conheceram numa peça de teatro escolar, tendo sido amor à primeira vista. Desde então comunicam por cartas, chegando mais tarde a planear a fuga. A amizade é um tema comum ao casal, pois nenhum tinha nenhum amigo. Provem também daí uma vontade ainda maior do seu amor. A família é um tema visto de forma diferente para cada um deles. Enquanto Sam era órfão e estava em risco de ir para um orfanato (“prisão”, como diz o polícia), para Suzy a família não lhe dizia nada. Os pais viviam um casamento em crise, com a mãe a ter um caso com o polícia, tornando difícil a ligação de Suzy com os seus pais. São portanto temas bastante sérios, atuais e um pouco dolorosos, mas que Anderson nos apresenta com muito coração e alma. Pois para além de nos fazer rir, Anderson consegue também comover-nos.

Quem viu “O Fantástico Sr.Raposo” irá certamente lembrar-se deste ao longo do filme, seja na banda sonora, seja nos cenários, seja nos enquadramentos, seja nas brevíssimas animações. Penso que “Moonrise Kingdom” é ainda mais épico que “O Fantástico Sr.Raposo”. Em “Moonrise Kingdom” o seu estilo é ainda mais frenético e rápido do que no seu anterior filme. Tudo está pensado ao pormenor, tudo é encantador, desde a fotografia, a edição, o elenco (desde as crianças aos adultos), à banda sonora. Alexandre Desplat torna a criar uma deslumbrante banda sonora, uma das melhores do ano.

“Moonrise Kingdom” é um filme com coração, um belo conto sobre o amor e a infância. É impressionante o que Anderson consegue fazer com uma história tão simples e normal. O seu estilo continua a ser único, tornando este filme numa das melhores obras de Anderson. Um dos filmes mais interessantes do ano.

Realização: Wes Anderson

Argumento: Wes Anderson, Roman Coppola

Elenco: Bill Murray, Bruce Willis, Edward Norton, Frances McDormand, Harvey Keitel, Jared Gilman, Jason Schwartzman, Kara Hayward, Tilda Swinton

EUA/2012 – Comédia

Sinopse: Decorrendo numa ilha ao largo da costa de Nova Inglaterra, no verão de 1965, Moonrise Kingdom conta a história de dois jovens, com 12 anos, que se apaixonam, fazem um pacto secreto e fogem juntos para um lugar selvagem. Enquanto as diversas autoridades locais os tentam encontrar, uma violenta tempestade irrompe e a pacífica comunidade da ilha fica, a todos os níveis, virada do avesso. Bruce Willis interpreta o xerife local, o Capitão Sharp. Edward Norton é um dos líderes do grupo de Escuteiros caqui, o Chefe Ward. Bill Murray e Frances McDormand interpretam os pais da jovem, o Sr. e a Sra. Bishop. Do elenco, fazem ainda parte Tilda Swinton, Jason Schwartzman e Bob Balaban, apresentando Jared Gilman e Kara Hayward como Sam e Suzy, o jovem casal.

«Moonrise Kingdom» - A infância vista por Wes Anderson
4.5Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos