Querido Diario - Edição Cineclubes - rota da viagem 1

 “Querido Diário: Edição Cineclubes” é uma rubrica original dos criadores do Cinema 7ª Arte que remete o leitor para uma viagem de vespa por Portugal fora, numa demanda dos cineclubes ainda ativos. De cidade em cidade, iremos conhecer cada cineclube e os seus nativos que se esforçam por partilhar a paixão pela sétima arte.

No dia 1 e setembro de 2013 o Cinema 7ª Arte partiu de vespa numa viagem pelo país fora. Foram três meses a viajar com o objetivo de dar a conhecer vários cineclubes de Portugal. “Querido Diário: Edição Cineclubes” tem sido uma das rubricas semanais que mais gozo nos tem dado fazer. Ficcionamos que o Cinema 7ª Arte (Tiago Resende e Eduardo Magueta) iria viajar numa vespa pelo país fora, um pouco dentro do espirito do filme “Querido Diário” (1993) de Nanni Moretti, e que iria fazer uma breve entrevista a cada cineclube. Aquilo que se pretende é promover, contar as suas histórias e falar do bom trabalho de divulgação de cinema que os cineclubes tem vindo a praticar. No fundo, perceber também qual a importância dos cineclubes nos dias de hoje, na sociedade portuguesa.

A viagem pode ter começado em setembro, mas como em todas as grandes viagens é preciso fazer um grande planeamento da mesma, pelo que em finais de julho e durante o mês de agosto estivemos a desenvolver o conceito da iniciativa e a fazer contactos. Tudo começou no cineclube de Viseu, um dos cineclubes mais ativos do país que oferece sempre uma excelente programação aos viseenses, e terminamos a primeira ‘viagem’ no cineclube de Coimbra, um dos mais antigos em Portugal e mais activos na formação de novos públicos. Passamos pelos seguintes lugares: Viseu, Aveiro, Porto, Maia, Guimarães, Ponta Delgada, Viana do Castelo, Santarém, Faro, Torres Novas, Joane, Avanca e Coimbra.

Ficamos a saber que existem pelo menos 52 cineclubes inscritos na Federação Portuguesa de Cineclubes, que é agora gerida pelo cineclube do Porto, mas que infelizmente alguns encontram-se inactivos ou praticamente paralisados. Entrevistamos 13, o que, embora seja um número relativamente baixo (25% do total), talvez estes 13 cineclubes sejam, neste momento, os mais activos do país. Existem muitos mais cineclubes pelo país, pelo que, pretendemos retomar esta ‘viagem’ para continuar esta aventura. Olhão, Tomar, Amarante, Lisboa, Horta, Abrantes, Vila do Conde e Fafe, por exemplo, são outros possíveis lugares a visitar na segunda parte da viagem.

Dos 13 cineclubes por que passamos, sabemos que há um grande interesse por parte de todos eles em divulgar o cinema, os vários cinemas (português, europeu, americano, asiático, etc). Muitos continuam a investir na produção de cinema nacional e na formação de técnicos e de novos públicos. De uma forma generalista sentem os sinais da crise nacional, que tem vindo a cortar fortemente nos apoios às instituições. No âmbito regional estas instituições tem sido fundamentais para a criação de uma programação alternativa para as pessoas e mesmo para o desenvolvimento regional. Em alguns casos o cineclube é o único meio de ver cinema fora de casa (“a única ligação que o público tem com a 7ª arte numa sala de cinema”). Todos concordam que deve existir uma maior relação de parceria entre vários cineclubes do país. Há, portanto, uma evidente vontade de querer passar o gosto pelo cinema, de ver, de o pensar e de o fazer. Tem sido esse o papel importante destes cineclubes nos últimos anos, ou até mesmo desde sempre.

O Cinema 7ª Arte relembra ainda que esta rubrica recebeu uma nomeação para categoria de Melhor Rubrica, dos TCN Blog Awards, edição 2013. (Para votar clique aqui)

E assim, termina temporariamente esta nossa ‘viagem’ pelos cineclubes de Portugal. Foram 13 os que visitamos e a todos eles o Cinema 7ª Arte agradece muito. De vespa nós fomos e de vespa nós regressaremos uma outra vez. Tem sido um privilégio conhecer todos estes lugares e pessoas que se esforçam por partilhar a paixão pela sétima arte. Na verdade, o Cinema 7ª Arte nada fez. Apenas se limitou a divulgar o árduo e fértil trabalho que os Cineclubes tem vindo a praticar em Portugal. Que nos dias de hoje é um trabalho de luta, resistência e paixão!

Conclusão, “Querido Diário: Edição Cineclubes” faz agora uma breve pausa e, em principio, em meados de janeiro de 2014 voltaremos à estrada, rumo a mais cineclubes ainda activos!