Óscares 2023: As nossas previsões

Previsoes dos Oscares 2023

*Artigo escrito por Vanderlei Tenório e Tiago Resende

A poucos dias da grande noite de Hollywood, a cerimónia de entrega dos prémios da Academia norte-americana de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS), a equipa do Cinema Sétima Arte faz as suas previsões dos possíveis vencedores da 95.ª edição dos Óscares, que se realiza a 12 de março.

Segundo as nossas previsões, a comédia “Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo”, com 11 nomeações, irá vencer quatro estatuetas douradas (Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Atriz Secundária e Melhor Ator Secundário).

“Tár”, o drama poderoso sobre a cultura de cancelamento, deverá vencer em três categorias: Melhor Atriz, Melhor Fotografia e Melhor Edição. Seguem-se “Elvis” com dois prémios (Melhor Guarda-Roupa e Melhor Maquilhagem e Cabelo) e “Babilónia” também com dois (Melhor Banda Sonora e Melhor Design de Produção). Com apenas um prémio devem ser reconhecidos os filmes: “A Baleia” (Melhor Ator), “Os Espíritos de Inisherin” (Melhor Argumento Original) e “A Voz das Mulheres” (Melhor Argumento Adaptado), “A Oeste Nada de Novo” (Melhor Filme Internacional) e “Pinóquio de Guillermo del Toro” (Melhor Filme de Animação).

O segundo prémio mais esperado da noite deverá ir para a dupla Daniel Kwan e Daniel Scheinert (Os Daniel´s) pela comédia de ação “Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo”. Com a vitória, a dupla supera: o sueco Ruben Östlund pelo filme “Triângulo da Tristeza”; o veterano Steven Spielberg, em sua nona nomeação pelo drama auto-biográfico “Os Fabelmans”; Martin McDonagh, vencedor de um Óscar, em sua sétima nomeação aos Óscares, mas a sua primeira na categoria de Melhor Realização, pelo filme “Os Espíritos de Inisherin”; e Todd Field em sua sexta nomeação e a primeira nesta categoria, pelo filme “Tár”.

A equipa do Cinema Sétima Arte não encontra consenso na categoria de Melhor Ator, estando dividida entre Austin Butler, Colin Farrell e Brendan Fraser. Colin Farrell pelo seu teatral e inocente Pádraic, de “Os Espíritos de Inisherin”, e Austin Butler pela sua avassaladora e eletrizante performance como Elvis Presley, em “Elvis”, são fortes concorrentes e ambos merecem as suas primeiras estatuetas douradas. No entanto, o comeback of the year e retumbante renascimento de Brendan Fraser, no drama psicológico “A Baleia”, é um peso pesado nesta categoria. Se por um lado Butler e Farrell venceram ambos o Globo de Ouro (em categorias diferentes), Fraser venceu nos SAG Awards e no Critics Choice Awards. Já, Paul Mescal, em “Aftersun”, e Bill Nighy, em “Living”, não parecem ter qualquer hipótese.

Cate Blanchett que segue a sua turnê de vitórias como Melhor Atriz pelo seu potente trabalho como Lydia Tár no filme “Tár”, do realizador norte-americano Todd Field (“Pecados Íntimos”) e, deverá levar o prémio de Melhor Atriz nos Óscares 2023. Apesar disso, a categoria é uma incógnita, afinal, Blanchett e Michelle Yeoh estão em pé de igualdade na interpretação. Tal fato pode ser decisivo no crive dos membros votantes da Academia. Ilustrando melhor a disputada estatueta, na temporada 2022/23, Blanchett ganhou a soma de 30 prémios. Por sua vez, Yeoh garantiu 49 prémios para sua estante.

Entre os secundários, Ke Huy Quan, de “Tudo Em Todo O Lado Ao Mesmo Tempo”, que foi concordância entre as instituições, círculos e associações de críticos, ganhará certamente o prémio de Melhor Ator Secundário. Nesse sentido, ao que parece, o prémio de secundária irá para a veterana Jamie Lee Curtis, também por “Tudo Em Todo O Lado Ao Mesmo Tempo”. Esta é a primeira nomeação ao Óscar que Lee Curtis recebe, pelo que a sua vitória é algo bastante desejável há muito tempo. Mas num universo formado por Kerry Condon, Stephanie Hsu, Angela Basset e Hong Chau, a categoria pode surpreender toda a gente. Ainda assim, a grande dúvida nesta categoria reside na atriz Angela Bassett, em “Black Panther: Wakanda Para Sempre”, apontada como uma das favoritas a vencer, tendo aliás ganho o Globo de Ouro na mesma categoria.

Por “A Voz das Mulheres”, adaptação de um romance de Miriam Toew, de 2018, e baseado em acontecimentos reais que tiveram lugar entre 2005 e 2009 na Colónia de Manitoba, na Bolívia, Sarah Polley deverá ganhar o Óscar de Melhor Argumento Adaptado. No que lhe concerne, pela narrativa satírica, direta, humorizada e sensível de “Os Espíritos de Inisherin”, o britânico Martin McDonagh deverá levar o prémio de Melhor Argumento Original.

Sem sombra de dúvidas, os realizadores Guilhermo del Toro e Mark Gustafson, devem conquistar o prémio de melhor animação com “Pinóquio de Guillermo del Toro”, releitura soturna da Netflix em stop-motion de “Pinóquio”, clássico do italiano Carlo Collodi. Na categoria Melhor Filme Internacional, o drama épico “A Oeste Nada de Novo”, releitura de Edward Berger deverá levar para a Alemanha o prémio mais cobiçado entre os realizadores não americanos. Correm por fora, o sensível “Close”, de Lukas Dhont e o magistral “Argentina, 1985”, de Santiago Mitre. A Netflix poderá arrecadar este ano duas estatuetas douradas por dois filmes.

Na categoria de melhor Banda Sonora, “Babilónia”, com realização de Damien Chazelle e composição de Justin Hurwitz, deverá garantir a Hurwitz a sua terceira estatueta dourada (venceu dois Óscares em 2017 por “La La Land”). No entanto, a Academia poderá conceder o prémio a John Williams, pela composição e condução de “Os Fabelmans” – a sua 53.ª nomeação ao prémio e a 31.ª parceria com Steven Spielberg. Por “Naatu Naatu”, de “RRR”, M.M. Keeravaani e Chandrabose devem superar Lady Gaga, Diane Warren e Rihanna, levando para a Índia o prémio de melhor canção original.

Ou seja, os membros da Academia deverão seguir o caminho dos últimos anos, de inclusão da diversidade que constitui Hollywood, dando reconhecimento a comunidades até hoje invisíveis ou ignoradas na indústria cinematográfica norte-americana, como é o caso da comunidade asiática. Ao longo desta extensa temporada de prémios 2022/2023 o filme “Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo” destacou-se dos restantes em quase todas as premiações, sendo o favorito na categoria de Melhor Filme. O filme de Steven Spielberg, “Os Fabelmans”, nomeado para sete categorias, poderá sair de mãos vazias, assim como “Triângulo da Tristeza”, nomeado para três Óscares.

Óscar para Portugal!

Na categoria de melhor curta-metragem de animação, o Cinema Sétima Arte acredita que “Ice Merchants“, de João Gonzalez, será a vencedora. Não é crença, é convicção. O filme de João Gonzalez fez um percurso magnífico até chegar à nomeação para o Óscar, um feito histórico para o cinema português, o que torna a curta-metragem na favorita à premiação. Venceu dezenas de prémios nos mais prestigiados festivais de cinema internacionais e nacionais, assim como nos mais importantes prémios de animação dos EUA. Contudo, há outro forte concorrente, “O Menino, a Toupeira, A Raposa e o Cavalo” uma produção de maior orçamento que venceu três Annies e um BAFTA. Dos dois lados do Oceano Atlântico estaremos a fazer figas por “Ice Merchants”.

AS NOSSAS PREVISÕES

Melhor Filme
All Quiet on the Western Front
Avatar: The Way of Water
The Banshees of Inisherin
Elvis
Everything Everywhere All at Once
The Fabelmans
Tár
Top Gun: Maverick
Triangle of Sadness
Women Talking

Melhor Realização
The Banshees of Inisherin, por Martin McDonagh
Everything Everywhere All at Once, por Daniel Kwan and Daniel Scheinert
The Fabelmans, por Steven Spielberg
Tár, por Todd Field
Triangle of Sadness, por Ruben Östlund

Melhor Ator
Austin Butler, em Elvis
Colin Farrell, em The Banshees of Inisherin
Brendan Fraser, em The Whale
Paul Mescal, em Aftersun
Bill Nighy, em Living

Melhor Atriz
Cate Blanchett, em Tár
Ana de Armas, em Blonde
Andrea Riseborough, em To Leslie
Michelle Williams, em The Fabelmans
Michelle Yeoh, em Everything Everywhere All at Once

Melhor Ator Secundário
Brendan Gleeson, em The Banshees of Inisherin
Brian Tyree Henry, em Causeway
Judd Hirsch, em The Fabelmans
Barry Keoghan, em The Banshees of Inisherin
Ke Huy Quan, em Everything Everywhere All at Once

Melhor Atriz Secundária
Angela Bassett, em Black Panther: Wakanda Forever
Hong Chau, em The Whale
Kerry Condon, em The Banshees of Inisherin
Jamie Lee Curtis, em Everything Everywhere All at Once
Stephanie Hsu, em Everything Everywhere All at Once

Melhor Argumento Original
The Banshees of Inisherin
Everything Everywhere All at Once
The Fabelmans
Tar
Triangle of Sadness

Melhor Argumento Adaptado
All Quiet on the Western Front
Glass Onion: A Knives Out Mystery
Living
Top Gun: Maverick
Women Talking

Melhor Filme de Animação
Guillermo del Toro’s Pinocchio
Marcel the Shell With Shoes On
Puss In Boots
The Sea Beast
Turning Red

Melhor Filme Internacional
All Quiet on the Western Front (Alemanha)
Argentina, 1985 (Argentina)
Close (Bélgica)
EO (Polónia)
The Quiet One (Irlanda)

Melhor Documentário
All That Breathes
All The Beauty and the Bloodshed
Fire of Love
A House Made of Splinters
Navalny

Melhor Fotografia
All Quiet on the Western Front
Bardo
Elvis
Empire of Light
Tár

Melhor Guarda-Roupa
Babylon
Black Panther: Wakanda Forever
Elvis
Everything Everywhere All at Once
Mrs. Harris Goes to Paris

Melhor Edição
The Banshees of Inisherin
Elvis
Everything Everywhere All at Once
Tar
Top Gun: Maverick

Melhor Maquilhagem e Cabelo
All Quiet
The Batman
Black Panther
Elvis
The Whale

Melhor Banda Sonora Original
All Quiet on the Western Front, por Volker Bertelmann
Babylon, por Justin Hurwitz
The Banshees of Inisherin, por Carter Burwell
Everything Everywhere All at Once, por Son Lux
The Fabelmans, por John Williams

Melhor Canção Original
“Applause”, de Tell It Like a Woman – música e letra por Diane Warren
“Hold My Hand”, de “Top Gun: Maverick – música e letra por Lady Gaga e BloodPop
“Lift Me Up”, de “Black Panther: Wakanda Forever – música por Rihanna, Ryan Coogler e Ludwig Goransson – letra por Tems e Ryan Coogler
“Naatu Naatu”, de “RRR” – música por M.M. Keeravaani – letra por Chandrabose
“This Is a Life”, de “Everything Everywhere All at Once” – música por Ryan Lott, David Byrne e Mitski – letra por Ryan Lott e David Byrne 

Melhor Design de Produção
All Quiet on the Western Front
Avatar: The Way of Water
Babylon
Elvis
The Fabelmans

Melhor Som
All Quiet on the Western Front
Avatar: The Way of Water
The Batman
Elvis
Top Gun: Maverick

Melhores Efeitos Visuais
All Quiet on the Western Front
Avatar: The Way of Water
The Batman
Black Panther
Top Gun: Maverick

Melhor Curta de Animação
The Boy, The Mole, The Fox and the Horse
The Flying Sailor
Ice Merchants
My Year of Dicks
An Ostrich Told Me the World is Fake and I Think I Believe It

Melhor Curta Live-Action
An Irish Goodbye
Ivalu
Le Pupille
Night Ride
The Red Suitcase

Melhor Curta Documental
The Elephant Whisperers
Haulout
How Do You Measure a Year
Stranger at the Gate

Skip to content